ANÁLISE MICROBIOLÓGICA EM TÁBUAS DE CORTE DE MADEIRA E DE ACRÍLICO DE COZINHAS DOMICILIARES

Laís Rodrigues de Oliveira, Priscila Reina Siliano

Resumo


  As cozinhas domiciliares ou coletivas e os locais de preparação de matérias primas para a elaboração de produtos alimentícios, podem ser o elo inicial de contaminações por diferentes espécies de micro-organismos. A utilização de tábuas de corte na cozinha é quase que indispensável, e esse instrumento, com o acúmulo de cortes, reentrâncias e orifícios, tornam-se um local hospitaleiro para a proliferação de bactérias. Com isso o presente trabalho teve como objetivo identificar o nível de contaminação em tábuas de corte de acrílico e madeira de uso domiciliar,  Foram analisadas 20 tábuas,  cuja  amostras foram inoculados em meios Ágar Nutriente e MacConkey. Para as bactérias crescidas em Ágar Nutriente foi realizado coloração de Gram e teste de Catalase, e as bactérias crescidas em MacConkey foram realizadas os testes bioquímicos do Enterokit B. As tábuas de acrílico analisadas apresentaram contaminação bacteriana em Agar nutriente em 100% das amostras. Após identificação, concluiu-se serem do gênero  Staphylococcus (70%) e  Streptococcus (30%) No Agar MacConkey, cujo crescimento evidencia apenas bactérias Gram negativas, houve crescimento de 30% das amostras:10% Citrobacter sp,10 %Serratia sp e 10 %   Enterobacter sp. Nas tábuas de madeira, também houve crescimento de 100% das amostras em Agar nutriente, sendo 80% Staphylococcus e  20% Streptococcus  No agar MacConkey metade (50%) das amostras estavam contaminadas com Gram negativas : 30% Citrobacter sp, 10% Enterobacter sp e 10% Klebsiella sp. A lavagem e desinfecção corretas desses utensílios são de grande importância para retirada de eventuais restos de alimentos e bactérias que possam sobreviver no material.


Palavras-chave


Tábuas de corte. Contaminação. Cozinha. Análise Microbiológica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 15 de dezembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.