SARCOPENIA: DEFINIÇÃO, ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS E FISIOPATOLOGIA

Miguel Angelo Moscoso Naveira, Luiz Roberto Ramos, Solange Andreoni

Resumo


O crescimento da população de idosos é um fenômeno mundial e está associado a alterações profundas na composição corporal. Entre as doenças crônicas que se instalam no processo de envelhecimento e que são responsáveis por altos graus de dependência e incapacidade destaca-se a sarcopenia. O termo sarcopenia foi utilizado pela primeira vez por Irwing Rosenberg em 1989 para descrever a redução acentuada da massa muscular decorrente do envelhecimento. Estimativas de prevalência de Sarcopenia ajustada para idade e sexo, variam de 7% a 69%, dependendo da medida utilizada para a mensuração da massa muscular, diferentes pontos de corte e critérios utilizados. A base etiológica primária da sarcopenia está na perda de massa muscular associada com o envelhecimento e ampliada por fatores que incluem alterações neurais, alterações hormonais, aumento das atividades inflamatórias e estresse oxidativo. O objetivo desse trabalho foi sintetizar e analisar as evidências na literatura sobre os aspectos epidemiológicos e fisiopatológicos da sarcopenia, descrevendo desta maneira, a magnitude do problema.


Palavras-chave


sarcopenia; idosos; massa muscular

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.