Aspectos clínicos, prevenção e epidemiologia da Febre Amarela no Brasil.

Alberto Andrade Leite, Paolo Ruggero Errante

Resumo


Introdução: A febre amarela é uma doença viral infecciosa não contagiosa febril aguda, com ciclo de transmissão urbano e silvestre. O ciclo urbano tem o homem como hospedeiro e o Aedes aegypti como vetor. No ciclo silvestre o macaco é o principal hospedeiro e mosquitos dos gêneros Haemagogus spp. e Sabethes spp são os vetores. O vírus da febre amarela pode causar febre, comprometimento renal, hepático e hemorrágica com até 10% de letalidade. Método: A revisão foi realizada por levantamento bibliográfico de banco de dados obtidos através de pesquisa no LILACS, MEDLINE e PUBMED. Resultados: A revisão literária demonstra a importância do diagnóstico precoce e prevenção da febre amarela através da imunização. Conclusão: Atualmente existe uma grande preocupação no surgimentos de novos surtos de febre amarela no Brasil, especialmente associados a transmissão pelo Aedes aegypti, transmissor do vírus da Dengue, Zika e Chikungunya.


Palavras-chave


Medicina

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 15 de dezembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.