ESTUDO DE CASO: DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DA NEUROCISTICERCOSE POR IMAGEM EM HOSPITAL PÚBLICO NO MUNICÍPIO DE SANTOS

Cristiane Farias Fontes Teles, Marcos Montani Caseiro, Luiz Henrique Gagliani

Resumo


A cisticercose é uma importante zoonose que acarreta prejuízo à saúde do homem. A Organização Mundial de Saúde estima que 50.000 indivíduos infectados pelo complexo teníase/cisticercose morram a cada ano. A neurocistecercose é uma infecção do sistema nervoso central, ocasionada pela forma larvária da Taenia solium, por apresentar vários fenótipos, gera uma dificuldade para o diagnóstico, mas devido aos avanços tecnológicos da TAC e a RM que são métodos sensíveis e importantes para o diagnóstico da doença. Objetivo: Avaliar a importância do diagnóstico por imagem da neurocisticercose e comparar o método diagnóstico de imagem conforme a fase evolutiva da doença. Metodologia: foram levantados caso de três pacientes com neurocisticercose, da análise de 1.074 prontuários, sendo 81 prontuários excluídos, no Hospital Guilherme Álvaro no município de Santos-SP. Tais resultados foram avaliados através de prontuários de pacientes submetidos a exames de neuroimagem. Resultados: Os pacientes levantados apresentaram grande infestação pela cisticercose com sintomas de cefáleia intensa e epilepsia. Foram tratados e liberados sem nenhum tipo de acompanhamento ou notificação. Discussão: Por se tratar de uma doença com possível evolução fatal, pode demonstrar a importância da neuroimagem para o diagnóstico da neurocisticercose. Considerações finais: A neuroimagem é essencial para o diagnóstico da neurocisticercose. Recentes avanços na detecção da doença por meios de técnicas de imagem têm resultados mais precisos da prevalência da infecção em todo o mundo.


Palavras-chave


Neurocisticercose, Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética, Diagnóstico por Imagem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.