ESTUDO ESPIROMÉTRICO EM INDIVÍDUOS FUMANTES E NÃO FUMANTES ATENDIDOS NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA, NA CIDADE DE SANTOS, NO PERÍODO DE 2006 A 2015

Patrícia Oliveira Cedraz, Marcos Montani Caseiro, Luiz Henrique Gagliani

Resumo


Segundo a Organização Mundial de saúde, o tabagismo é considerado a segunda maior causa de morte do fumante ativo, e a terceira do fumante passivo. No Brasil, as estimativas são de aproximadamente 200 mil mortes ao ano, gerando uma carga econômica substantiva, caracterizada pelos custos da assistência médica e da perda de produtividade devido à morbidade e à morte prematura. A espirometria é o exame complementar que em conjunto com um quadro clínico compatível com sintomas de obstrução. A dispnéia, tosse e produção crônica de secreção, ou histórico de exposição a fatores de risco, como o tabaco, define o diagnóstico de DPOC, devendo ser parte integrante da avaliação de pacientes com sintomas ou doenças respiratórias conhecidas. Este trabalho teve como objetivo analisar os valores espirométricos de indivíduos fumantes e não fumantes e relacionar os resultados obtidos com o tempo de tabagismo e quantidade de cigarros consumidos por dia. Foram analisados 196 prontuários, onde havia 100 prontuários incompletos e 96 prontuários completos, que realizaram o exame de espirometria. Desses, 39 eram fumantes, 45 não fumantes totalizando 84 indivíduos aproveitáveis para o estudo. A faixa etária variou entre 18 e 77 anos, com a idade medida de 46 anos. Dos 51,2% do sexo masculino 56,4% eram fumantes e 46,7% não fumantes; 48,8% do sexo feminino, destes 43,6% fumantes e 53,3% não fumantes. Após avaliar os resultados de espirometria dos pacientes fumantes 76,92% apresentaram alterações pulmonares e 23,06% não apresentaram e para os não fumantes foi de 31,11% e 68,89% respectivamente. Quando relacionamos a quantidade de cigarros/ dia com os dados obtidos nas espirometrias, observamos que quanto maior a média de cigarros consumidos por dia, menor é a média de VEF1 e do Ratio (VEF1/CVF), ou seja, quanto maior a quantidade de cigarros consumidos por dia maior é a lesão pulmonar. Os indivíduos fumantes apresentam mais danos pulmonares conforme o maior consumo de cigarros/ dia e quanto maior é o tempo de fumo. As lesões pulmonares mais observadas entre os não fumantes é DOG e DOL, e entre os não fumantes é DRL. A espirometria simples é importante para apontar estágios iniciais da doença respiratória.

 


Palavras-chave


Espirometria, Fumantes, Fisioterapia, Cidade de Santos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.