DIDÁTICA, ANDRAGOGIA, HISTÓRIA DE VIDA SÃO PARTES INTEGRANTES DO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO ENSINO SUPERIOR E ESTÃO INTERLIGADAS À QUALIDADE E EXCELÊNCIA DE ENSINO

Sidney Bernardo

Resumo


O presente trabalho procura demonstrar a inter-relação da Didática, Andragogia e História de Vida, como sendo partes integrantes do processo de ensino e de aprendizagem no Ensino Superior e estão intimamente interligadas com a formação dos acadêmicos e pós-graduandos e respectiva qualidade e excelência de ensino. Para tanto, trazemos para reflexão, algumas informações sobre Didática, História de Vida, Andragogia, e o Processo de Ensino e de Aprendizagem no Ensino Superior.


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ABREU, Maria Célia Teixeira Azevedo & MASETTO, Marcos Tarciso. O professor universitário em aula. São Paulo: MG Editores Associados, 1987.

ALVES, Rubem. Tempus Fugit. São Paulo: Paulus, 1990.

ALMEIDA, Manuela. As histórias de vida enquanto procedimento de pesquisa sociológica: reflexões a partir de um processo de pesquisa. Revista Crítica de Ciências Sociais, no 44, 1995.

AQUINO, Carlos Tasso Eira de. Como aprender: Andragogia e as habilidades de aprendizagem. 1ª ed. São Paulo: Pearson Education / Prentice Hall Brasil, 2007.

BERNARDO, Sidney. Noções básicas preliminares ao estudo de antropologia. Santos (SP): Edição do Autor, 2014.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília-DF: 1988.

BRASIL. Presidência da República. Secretária de Assuntos Estratégicos. PÁTRIA EDUCADORA: A qualificação do ensino básico como obra de construção nacional. Brasília, DF: 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Diretoria de Avaliação da Educação Superior – DAES. ENADE. Brasília, DF: 2015.

CARROL, Lewis. Alice no país das maravilhas. Título original em inglês: Alice is Wonderland (1866). Tradução da edição de 1999 da Nord-Süd Verlag, Zurique. São Paulo: Editora Martin Claret, 2007.

CUNHA, Maria Isabel da. O bom professor e sua prática. Campinas (SP): Papirus, 1992.

CURY, Augusto. Ansiedade: como enfrentar o mal do século: a Síndrome do Pensamento Acelerado: como e por que a humanidade adoeceu coletivamente, das crianças aos adultos. 1ª ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

GADOTTI, Moacir. Concepção dialética da educação: um estudo introdutório. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1992.

GADOTTI, Moacir; ROMÃO, José E. (org.) Educação de Jovens e Adultos: teoria, prática e proposta. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 2003.

GAIARSA, José Ângelo. Educação familiar e escolar para o terceiro milênio. São Paulo: Ágora, 2008.

IWAKURA, Mariana. Entrevista de Tom Peters exclusiva a Pequenas Empresas % Grandes Negócios, por ocasião do Fórum HSM de Estratégia, ocorrido em São Paulo. São Paulo: Editora Globo S/A, Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, número 260, edição de setembro 2010.

JAEGER, Werner Wilhelm. Paidéia: A formação do Homem Grego. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

JOSSO, Marie Christine. História de vida e projeto: a história de vida como projeto e as "histórias de vida" a serviço de projetos. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 25, no 2, jul/dez, 1999.

LELLIS, Isabel. Profissão docente: uma rede de história. Revista Brasileira de Educação. São Paulo, ANPED, no 17, maio/jun/jul/ago, 2001.

KAROLCZAK, Maria Eloisa; KAROLCZAK, Márcio. Andragogia – Liderança, Administração e Educação: Uma nova teoria. São Paulo: Juruá, 2008.

MEIHY, J. C. S. B. e Fabíola Holanda. História Oral – Como Fazer – Como Pensar. São Paulo: Editora Contexto, 2007.

MEIHY, J. C. S. B. Manual de História Oral. 4ª ed. São Paulo: Loyola, 2002.

MEIHY, J. C. S. B. Definindo História Oral e Memória. Cadernos CERU, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 52-60, 1994.

NÓVOA, Antonio. Os professores e as histórias de suas vidas. In: NÓVOA, a. (org.) Vidas de Professores. Porto: Porto Editora, 1992.

VASCONCELOS, Maria Lúcia Marcondes Carvalho. A formação do professor do ensino superior. Revisão Janet Yunes Elias. 2ª ed. atualizada. São Paulo: Pioneira, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.