A fisiologia do exercício físico na estimulação da angiogênese em pacientes diabéticos com doença vascular periférica

Camila Cardoso Almeida, Elizabete Souza dos Anjos, Fernanda Yole Ravanelli Pacheco, Ketheryn Sales Rodrigues

Resumo


O Diabetes Mellitus (DM) esta associado ao desenvolvimento de anormalidades no metabolismo que alteram a parede das artérias, tornando-as mais suscetíveis a desenvolver aterosclerose. O acumulo de glicose nos vasos periféricos em pacientes diabéticos é o que deriva a situação de aterosclerose que com consequente evolução causa obstrução de artérias dos membros inferiores classificando, assim, a doença vascular periférica (DVP). A obstrução da árvore arterial dos membros inferiores, devido a DVP no paciente diabético, resulta numa diminuição do aporte sanguíneo necessário aos tecidos durante o exercício ou mesmo em repouso levando-o ao estado de hipóxia. Perante esse estado, o organismo possui diversos mecanismos de adaptação, sendo um deles a angiogênese. Os efeitos do exercício físico sobre a rede de vasos sanguíneos é de extrema importância, inclusive quando se trata de exercícios aeróbicos, pois ele provoca adaptações estruturais e funcionais nas redes de vasos, na musculatura estriada esquelética e, também, na estimulação da angiogênese.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.