IMPACTOS DO TABAGISMO NA GESTAÇÃO PARA O CRESCIMENTO DA CRIANÇA: REVISÃO SISTEMÁTICA

Gabriely Lima Abrantes, Beatriz De Souza Santos, Laura Rocha dos Santos, Amanda Dantas Reis Rocha, Naylla Aleixo da Silva, Frederico Kauffmann Barbosa, Luiz Ricardo Nemoto Barcellos Ferreira

Resumo


Introdução: Gestantes fumantes expõem o feto aos diversos componentes nocivos do cigarro, o que leva a inúmeras alterações sistemáticas a curto e longo prazo na saúde da criança. Objetivo: Elaborar uma revisão sistemática acerca dos impactos gerados pelo tabagismo gestacional durante o desenvolvimento embrionário, o que essa alteração sistemática causará na saúde da criança e os aspectos socioeconômicos dessas gestantes. Metodologia: Foi realizada uma revisão sistemática, tendo em vista uma análise de produção cientifica, sobre o impacto do tabagismo na gestação, para o desenvolvimento do feto. Esta pesquisa foi realizada, através do levantamento bibliográfico na plataforma SciELO, para parâmetros de comparação, utilizando-se os descritores: cigarro, gestação e Smoking during pregnancy. Os critérios de inclusão foram artigos científicos publicados em língua inglesa e portuguesa, entre 2014 e 2019. E como critério de exclusão foram estabelecidos artigos que abordavam pesquisa em animais, títulos que não conferem ao tema e leitura de resumo, onde os dados não se encaixam com o objetivo do trabalho, artigos pagos e artigos de revisão. Discussão: Os estudos de Muraro et al., 2015, Martelli et al., 2015 e Fonseca et al., 2018 relatam os prejuízos fisiológicos causados pelo fumo durante a gestação, Muraro et al. 2015, acompanhou crianças por toda a infância, até a adolescência para demonstrar que a longo prazo, o fumo pode causar sobre peso, Fonseca et al., 2018, relatou sobrepeso e ainda ressaltou que filhos de mães fumantes, desenvolvem precocemente déficit de comprimento, tendo o fumo como um fator independente. Martelli et al., 2015 encontra em seu estudo a compatibilidade do fumo durante a gestação com crianças com Síndrome Fenda Palatina Não Sindrômica (FPNS) e Fenda Labial (FL). Fatores sociais inclusive foram abordados em todos os estudos. Também foi observada uma associação positiva entre alto IMC de crianças e adolescentes com condição socioeconômica e baixo nível educacional das mães. No estudo realizado por Nur, 2017, foi realizado um questionário que também envolvia a situação socioeconômica da gestante como: seu nível de escolaridade, situação profissional e a renda familiar, assim como o de Fonseca et al., 2018 que também incluiu questões sobre estilo de vida e comportamental. Os três estudos citados relacionaram o baixo nível de escolaridade das mulheres com o hábito de fumar na gravidez. Conclusão: Os estudos mostraram que além dos prejuízos já conhecidos sobre o hábito de fumar na gestação (abortamento, prematuridade e baixo peso ao nascer), outras patologias também foram associadas ao tabagismo e a situação socioeconômica que a mulher se encontra também está relacionada ao hábito.

IMPACTS OF SMOKING DURING PREGNANCY FOR THE CHILD’S GROWTH: SYSTEMATIC REVIEW

Introduction: Pregnant smokers expose the fetus to various harmful components of the cigarette, which leads to numerous systematic changes in the short and long-term health of the child. Objective: To elaborate a systematic review about the impacts generated by gestational smoking during embryonic development, what this systematic change will cause in the health of the child and the socioeconomic aspects of these pregnant women. Methodology: A systematic review was conducted in view of producing a scientific analysis on the impact of smoking during pregnancy, for the developing fetus. Methodology: A systematic review was conducted in view of producing a scientific analysis on the impact of smoking during pregnancy for the development of the fetus. This research was conducted through the bibliographic survey on the SciELO platform, for comparison parameters, using the descriptors: cigarette, pregnancy and Smoking during pregnancy. Inclusion criteria were scientific articles published in English and Portuguese, between 2014 and 2019. And as exclusion criteria were established articles addressing research on animals, titles that did not match the theme and reading summary, where the data did not fit with the purpose of the work, paid articles and review articles. Discussion: The studies by Muraro et al., 2015, Martelli et al., 2015 and Fonseca et al., 2018 report the physiological damage caused by smoking during pregnancy, Muraro et al. 2015, accompanied children throughout childhood, through adolescence to demonstrate that in the long term smoking can cause overweight, Fonseca et al., 2018, reported overweight and further pointed out that children of smoking mothers, early develop length deficit, with smoking as an independent factor. Martelli et al., 2015 found in their study the compatibility of smoking during pregnancy with children with Non-Syndromic Palate Cleft Syndrome (FPNS) and Lip Cleft Syndrome (FL). Social factors were even addressed in all studies. It was also observed a positive association between high BMI of children and adolescents with low socioeconomic status and low educational level of mothers. In the study by Nur, 2017, a questionnaire was also conducted that also involved the socioeconomic situation of the pregnant woman, such as: her educational level, professional status and family income, as well as that of Fonseca et al., 2018 which also included questions about lifestyle and behavioral. All of the three studies showed related the low educational level of women with smoking during pregnancy. Conclusion: Studies have shown that in addition to the known harm on smoking during pregnancy (miscarriage, prematurity and low birth weight), other pathologies have also been associated with smoking and the socioeconomic status of women is also related to smoking.


Palavras-chave


tabagismo materno; alterações sistemáticas; aspectos socioeconômicos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.