PARTO COM 37 SEMANAS NA PRÉ-ECLÂMPSIA SEM SINAIS DE GRAVIDADE: PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E RESULTADOS PERINATAIS

Mariana Abduch Rahal, Fernanda Taniguchi Falleiros, Juliana Rinaldis da Silva, Luiza Ribeiro de Magalhães, Maria Luisa Diaz Cunha David, Vivian Macedo Gomes Marçal, Sérgio Floriano de Toledo, Rogério Gomes dos Reis Guidoni, Vera Esteves Vagnozzi Rullo, Francisco Lázaro Pereira de Souza

Resumo


Introdução: abordagem sistemática em gestantes com pré-eclâmpsia (PE) poderia evitar riscos para o binômio mãe-feto.  Objetivos: Comparar desfechos maternos e neonatais em gestações complicadas ou não com PE sem sinais de gravidade com o parto a termo. Métodos: estudo prospectivo envolvendo 104 gestantes. Grupo de estudo: 52 gestantes com diagnóstico de PE, > 37 semanas. Grupo controle: 52 gestantes com feto único e vivo, > 38 semanas, sem comorbidades. As análises estatísticas: teste exato de Fisher e t de Student.  Resultados: gestantes com PE apresentam: idade mais avançada, maior ocorrência de PE prévia, IMC mais elevado. Seus neonatos apresentam um menor Score de Apgar e maior prevalência de recém-nascidos pequenos para idade gestacional.  Conclusão: não houve diferença significativa no desfecho materno e perinatal entre os grupos estudados.

MILD PREECLAMPSIA DELIVERY AT 37 WEEKS: EPIDEMIOLOGICAL PROFILE AND PERINATAL OUTCOMES

Introduction: a systematic delivery approach in pregnant women with preeclampsia (PE) could avoid risks to both mother and newborn. Objectives: Compare maternal and neonatal outcomes in gestations with and without PE with no gravity signals in term delivery. Methods: prospective study involving 104 pregnant women. Study group: 52 pregnant women diagnosed with PE, > 37 weeks. Control group: 52 pregnant women with single and live fetus, > 38 weeks, without comorbidities. Statistical analyzes: Fisher's exact test and Student's t-test. Results: PE patients presented a advanced age, higher occurrence of previous PE, higher BMI. Their newborns: a lower Apgar score in the first and fifth minutes and a higher prevalence of small infants for gestational age.  Conclusion: There was no significant difference in the maternal and perinatal between both groups.


Palavras-chave


pré-eclâmpsia; desfechos perinatais; desfechos maternos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista UNILUS Ensino e Pesquisa - RUEP

ISSN (impresso): 1807-8850
ISSN (eletrônico): 2318-2083

Periodicidade: Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição - 31 de maio
Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição - 31 de agosto
Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição - 30 de novembro
Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição - 31 de março

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Indexadores

 

Estatística de Acesso à RUEP

Monitorado desde 22 de novembro de 2016.